segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Cabo Frio terá dois parques para preservação ambiental

JB Online

RIO - Após 18 anos da aprovação da Lei Orgânica pela Câmara Municipal de Cabo Frio, o município começa a proteger, de fato, suas áreas de preservação ambiental, por meio da demarcação e da criação de planos de manejo de parques municipais. Dois deles – o da Boca da Barra e o do Morro do Mico – vão concentrar, este ano, as atenções da Coordenadoria do Meio Ambiente da Secretaria Municipal de Desenvolvimento da Cidade e Ambiente.

Embora a Lei Orgânica tivesse fixado, em cinco anos, o prazo para que o Poder Executivo Municipal tomasse as medidas necessárias para proteger as vastas áreas ainda nativas do município, como costões, morros e ilhas, de 1990 até agora não haviam sido efetivadas as disposições relativas à questão ambiental. Cerca de 700 mil metros quadrados de duas unidades de preservação já foram demarcados, cercados e estão para ter aprovados seus planos de manejo: são o Parque Municipal Dormitório das Garças Walter Bessa, no distrito-sede e o Parque Municipal do Mico-Leão Dourado, no distrito de Tamoios.

Na última semana, a Secretaria de Desenvolvimento anunciou a criação do Parque Municipal do Morro do Mico, numa faixa compreendida entre o bairro Jacaré, em direção a Estrada do Guriri e a estrada conhecida como Nelore. Segundo a Coordenadora de Planejamento da Secretaria, Rosane Vargas, a área contém uma área de proteção ambiental (APA) nas partes mais baixas e recebe ocupação ilegal na interface com o bairro Jacaré, onde moradores invadiram a área com plantações de milho e outros cereais.

Segundo ela, a demarcação da área está em pleno andamento e o que for propriedade privada no parque deverá ser indenizado. No caso da APA, para os que já estão no local, há permissão de uso sem possibilidade de expansão. Segundo a Secretaria de Desenvolvimento, por estar próxima ao centro urbano, a área – que conserva exemplares de Mata Atlântica – sofre pressão imobiliária. O local tem uma fauna rica, incluindo micos-leões-dourados.

O outro parque que deverá ser implementado este ano é o da Boca da Barra, pelo qual transitam, navegando pelo Canal Itajuru, os visitantes que chegam à cidade em transatlânticos, ano a ano, desde a virada do milênio. Conforme reza a Lei Orgânica, "nas áreas de preservação permanente não serão permitidas atividades e construções que, de qualquer forma, contribuam para descaracterizar e prejudicar seus atributos e funções essenciais". Há, na área do parque, a APA do Pau Brasil, que faz restrições às atividades na embocadura e nos costões, considerados zona de proteção silvestre. A Ilha do Japonês está contida no parque.

A legislação relativa à APA considera o sopé dos morros como área de conservação, permitindo empreendimentos turístico-hoteleiros dentro do Plano de Ocupação que, no entanto, devem ser avaliados pelo Conselho Gestor da APA para merecer aprovação.

Para a Coordenadora de Planejamento, Rosane Vargas, é preciso haver plano de manejo prevendo o deslocamento de turistas e dando orientação para a recepção de visitantes. Ela considera que a Lei Orgânica Municipal de Cabo Frio foi muito bem elaborada.

– Está tudo aqui, não é preciso inventar nada. É especialmente nas épocas de veraneio que se percebe a importância da proteção dessas áreas, porque as que ainda não estão demarcadas e cercadas recebem turistas que acampam, fazem fogueiras e põem em risco a vegetação deixando lixo espalhado e degradando os recursos naturais do município – finalizou Rosane.


Fonte: "Jornal do Brasil"
16:17 - 18/01/2009

Um comentário:

RVB Celestino disse...

Olá

em primeiro lugar, parabéns pelo ótimo blog.

Bem,,,,sou baloeiro.
É mas não se assuste! rsrsrs

estou lançando uma campanha:
UM NÃO A SOLTURA, UM SIM PELA ARTE.

conheça mais sobre o assunto no link abaixo
http://casadobaloeiro.blogspot.com/

A idéia é apresentar os balões em exposições, sem soltura, respeitando o meio ambiente e a sociedade.



//

Olá Amigos,

Já ouvi muitos justificarem seu apoio a soltura de balões utilizando o artifíco de que esta arte, faz parte do folclore brasileiro.
Bom, que o balão faz parte do folclore eu concordo plenamente. Não há dúvidas.
Mas, muitas vezes, nos esquecemos de olhar o problema como um "todo", e se fizermos isso veremos que muita coisa mudou devido a "urbanização" de nossas cidades.
Um exemplo prático disso é que basta analizarmos a quantidade de aviões que circulam hoje e a quantidade que circulavam antigamente. Ou a preocupação com o meio ambiente que a sociedade tinha antes e a que temos hoje. Ou até mesmo a preocupação com a segurança que a sociedade tinha antes e a que tem hoje.
Com certeza poderemos ver claramente que alguns pontos significativos mudaram, e isso interferiu drásticamente na soltura de balões, sejam eles pequenos ou grandes.
O fato de não termos controle sobre o balão após sua soltura é que faz o problema ficar complicado pro nosso lado. É claro que a emoção do momento da soltura é indescritível, porém não podemos ver unilateralmente esta questão sem se importar com as consequências.
Mas mesmo assim, ao meu modo de ver, existem "saídas" para mantermos nossa arte. Se utilizarmos os artifícios do Artesanato, Cultura e também do Folclore com já é utilizado.
Em seguida colocarei uma breve descrição de cada um.


Artesanato

Artesanato é essencialmente o próprio trabalho manual ou produção de um artesão (de artesão + ato). O artesanato é tradicionalmente a produção de caráter familiar, na qual o produtor (artesão) possui os meios de produção (sendo o proprietário da oficina e das ferramentas) e trabalha com a família em sua própria casa, realizando todas as etapas da produção, desde o preparo da matéria-prima, até o acabamento final; ou seja, não havendo divisão do trabalho ou especialização para a confecção de algum produto. Em algumas situações o artesão tinha junto a si um ajudante ou aprendiz.

Cultura

Cultura (do latim cultura, cultivar o solo, cuidar) é um termo com várias acepções, em diferentes níveis de profundidade e diferente especificidade. São práticas e ações sociais que seguem um padrão determinado no espaço. Se refere a crenças, comportamentos, valores, instituições, regras morais que permeiam e identifica uma sociedade. Explica e dá sentido a cosmologia social, é a identidade própria de um grupo humano em um território e num determinado período.

Folclore

Folclore é um gênero de cultura de origem popular, constituído pelos costumes e tradições populares transmitidos de geração em geração.
Todos os povos possuem suas tradições, crendices e supertições, que se transmitem através de lendas, contos, provérbios, canções, danças, artesanato, jogos, religiosidade, brincadeiras infantis, mitos, idiomas e dialetos característicos, adivinhações, festas e outras atividades culturais que nasceram e se desenvolveram com o povo.

Percebam que estes três artifícios se misturam entre si. E em todos eles, cabe perfeitamente a arte de confeccionar balões.
Porém não há como mudar a evolução da nossa sociedade e o perígo da soltura, pois este ato traz danos a terceiros e não cabe a ele nenhum artifício para justificá-lo.

Um Abraço,


UM NÃO A SOLTURA!, UM SIM PELA ARTE!